Logo-carla cintia semfundo.png

PROJETOS REALIZADOS

Uma boa execução é dez vezes mais importante e cem vezes mais difícil que uma boa ideia.
— Maurício Benvenutti (Incansáveis)
livros
 
Buzum do Samba.jpg
BUZUM DO SAMBA

(Idealização e Produção Carla Cintia Conteiro e Mau Mendes)

 

A ideia principal do projeto é a circulação de informação cultural, principalmente naquela relacionada ao samba. A gente sai com o ônibus, o BUZUM DO SAMBA, da Zona Sul, com palestrante e roda de samba a bordo, visita pontos de interesse relacionados ao samba e ao tema do dia pela cidade e aporta num local que tenha a ver com a cultura de bamba e o tema "estudado" naquela viagem.

 

Na primeira edição do projeto, inaugurado em fevereiro de 2013, o Buzum do Samba partiu do Largo do Machado para depois da Central e visitou sítios relacionados ao samba pela cidade e aportou em locais como o Centro Cultural Cartola (hoje Museu do Samba), ao pé da verde e rosa, num dia inteiro de cultura e diversão, com direito a almoço e apresentações da Orquestra de violinos Cartola e do Samba de Benfica.

 

A seguir, o tema foi Candeia, partido alto e jongo. O Buzum do Samba partiu cantando rumo ao GRANES Quilombo, a escola de samba fundada pelo homenageado e outros bambas em Fazenda Botafogo/Acari. Pelo caminho, muita informação, mordomia e diversão a bordo. Ao chegar, os buzungueiros saborearam aquela feijoada, participaram de oficina e roda de jongo e duas rodas de samba, uma da própria Comunidade da Quilombo e outra do Samba de Benfica.

 

Em abril, o destino foi Vassouras. Lá os passageiros exploraram as tradições populares do Vale do Café, origem do jongo, um dos pais do samba, com visitas a locais relevantes da cultura afro-brasileira, com direito a Folia de Reis, e nossa roda de samba.

 

Para concluir a temporada mostrando que samba não se aprende no colégio e que na nossa casa todo mundo é bamba, seguimos os três apitos até a Vila Isabel de Noel Rosa e de Martinho da Vila e respiramos muita musicalidade e tradição.

FLIMARACA

(Idealização e Produção Carla Cintia Conteiro, Eliana Alvez Cruz e Ricardo Pessanha. Apoio Estação Maracanã Botequim)

O Maracanã – bairro que remete a uma preferência nacional, o futebol – sediou um evento inédito na Zona Norte para celebrar outro afeto: os livros. É lá que se realizou a I FLIMaraca, Festa Literária Informal do Maracanã.

Em setembro de 2018, a FLIMaraca proporcionou ao público encontros com vários escritores ligados ao bairro e seus arredores para palestras curtas, troca de ideias, exposição e venda de livros, no ambiente informal e acolhedor do Estação Maracanã Botequim.

Entre os participantes, estavam os ganhadores do Prêmio Jabuti Graça Lima (em 1982, 1984 e 2003) e Luiz Antonio Simas (em 2015), as autoras laureadas Eliana Alves Cruz (Prêmio Literário Oliveira Silveira, da Fundação Cultural Palmares em 2015), Carla Cintia Conteiro (Prêmio Paulo Mendes Campos de melhor livro de crônicas de 2010, da União Brasileira dos Escritores) e Ricardo Pessanha, jornalista com obras lançadas em vários países.

 

A FLIMaraca contou ainda com o criador da FLIZO – Festa Literária da Zona Oeste, Binho Cultura; com o escritor, radialista e agitador cultural Bruno Black; com a conselheira municipal e uma das fundadoras do Movimento Mundial Mulheres Reais, Kátia Pires, com o Mestre em Escrita Criativa Marcelo Maldonado e com o profícuo Marcelo Batalha.

A FLIMaraca reuniu uma seleção que não faz corpo mole e deu um show de bola para os amantes da literatura e de um bom bate-papo. 

FLIMaraca mosaico.png
51276017_2353777131323536_75102880899111
BARBLIOTECA

O pessoal do Baticum Butiquim chegou com a proposta que nos encantou de criar uma biblioteca dentro de um bar, a Barblioteca, e nos engajamos no evento de inauguração, além de participar de outros encontros que deram continuidade ao projeto.

É um bom mote na vida sonhar e trabalhar por mais iniciativas como esta.